Para onde caminha o varejo: previsões para um futuro próximo (parte 2)

Adaptar-se as mudanças do mundo e do comportamento de consumo é fundamental para a sobrevivência de qualquer negócio. Seguimos, então, compartilhando as previsões para o futuro do varejo segundo a NRF (Associação Nacional do Varejo Americano) apresentou em seu evento anual, a NRF Big Show:

 

4 – Musica x Barulho

Big Data (mega dados) é o conjunto de informação que se armazena para análise e tomada de decisão. Esse mercado já movimenta US$ 33 bilhões por ano, está crescendo e 9 de cada 10 varejistas acreditam que essas informações serão essenciais para a operação de seus negócios. O desafio está em administrar os diversos canais de coletas de dados para conseguir, assim, entregar os melhores serviços e experiências para os clientes, criando maior engajamento. Grandes varejistas que já estão obcecados pelos dados dos clientes, têm investido em análises, reconhecendo que o crescimento da receita e a melhoria da experiência do cliente dependem disso.

Nota da Bonsai: Apesar de parecer distante da realidade do pequeno varejista, pequenas ações de avaliação de dados já auxiliam na melhoria da experiência do cliente e percepção do lojista para com o cliente. Se utilizar de plataformas de análise de website (Google Analytics, por exemplo) e monitorar o impacto e engajamento nas redes sociais já é um primeiro passo.

 

5 – Vamos falar sobre tecnologia de voz

Você já conversou com a Siri hoje? E com a Alexa, Google Now ou Cortana? Programas de reconhecimento de voz estão mudando o comportamento do consumidor. Se você não está ouvindo, corre o risco de ficar de fora da conversa. Conforme os benefícios do uso do reconhecimento de voz vão surgindo (pessoas falam mais rápido do que escrevem), os varejistas precisam estar atentos para incorporar a tendência nas suas ferramentas de vendas. Usar da voz do cliente como canal para negociação é mais simples e querer menos esforço para o cliente, que está se habituando com essas tecnologias.

Nota da Bonsai: já existe sistemas de uso de tecnologia de voz para agilizar o processo de solicitação de produtos para a expedição. Avaliar o ganho em agilidade ao não precisar digitar ou bipar códigos de barras para solicitar produtos pode se tornar um diferencial de sucesso e fonte de economia na logística de um varejista.

 

6 – Diga “oi” para os botões de compras nas redes sociais

As redes sociais têm mudado seus formatos em relação à sua origem. Twitter, Facebook e Pinterest estão todas introduzindo botões de compra, que será apenas a ponta de um Iceberg. Ter um botão de compra na rede social fará com que o cliente não precise mais perguntar aonde comprar o produto anunciado. Mesmo que você não esteja preparado para comprar com apenas 1 clique na rede social, não ignore o poder que essa mudança terá no cenário do varejo, que já possui expectativa de movimentar US$ 1 bilhão em vendas ao longo de 2016.

Nota da Bonsai: Essa funcionalidade não é comum nos varejistas brasileiros e ainda causa estranheza do cliente. Mas, visto que somos campeões de tempo conectados em redes sociais, usar dessas funcionalidades para alavancagem de vendas pode se tornar um grande negócio.

 

7 – Aguarde a próxima postagem!

 

Perdeu o primeiro texto? Clique aqui!