Para onde caminha o varejo: previsão para um futuro próximo (final)

Olhar para o futuro e se preparar para as inovações que estão chegando no varejo é importante para todo lojista, não importa seu tamanho. Então, encerrando essa série de 3 reportagens, compartilhamos as últimas previsões feitas pela NRF (Associação Nacional do Varejo Americano) em seu evento anual, ocorrido na cidade de Nova Iorque, a NRF Big Show:

 

7 – Parcerias irão prosperar

Foi-se o tempo onde os varejistas mantinham toda sua operação interna. Parceria está sendo a nova arma para aqueles que estão comprometidas com a promessa da economia colaborativa. Grandes empresas já tem-se utilizado de startups para fazerem suas entregas. É o caso da Walmart, Walgreens e Target, que se utilizam de empresas como a Instacart, Doordash e Postmates.

Nota da Bonsai: A logística é um exemplo de operação que pode ser terceirizada a partir do uso de novas plataformas. Mas, podemos ir além e nos aproveitarmos de parceiros para atividades que incluam também nossa principal atividade, que é a venda. Existem diversas plataformas de marketplaces disponíveis para os pequenos varejistas darem os primeiros passos na venda virtual ou ampliarem os locais de comercialização de seus produtos.

 

8 – Geração Z esta prestes a mudar o varejo

Enquanto muitos ainda falam da geração Millennials, a geração Z estão aprimorando seu universo de consumo. A empresa de consultoria Fitch, recentemente divulgou que em 2020 a geração Z (que nasceu após 1990) será o maior grupo de compradores na internet, representando 40% do público alvo nos Estados Unidos, Europa e BRICS (Brasil, Russia, India, China, Africa do Sul).

Nota da Bonsai: em todo varejo é importante conhecer seu público alvo e perfil de compra, moldando o negócio para atendê-los conforme seu modo de consumo. E se ajustar para a realidade de necessidade de um público que nasceu conectado é primordial para se manter vivo no varejo.

 

9 – A busca pelo pagamento “sem cartão”

Os consumidores desejam que o processo de pagamento seja cada vez mais simples, mas entregar um fluxo sem dinheiro ou cartão, do desejo de compra até a efetivação, tem sido um grande desafio. Apple, Samsung e Android começaram a operar com sistemas de pagamento sem cartão, mas o uso ainda não esta crescendo a taxas elevadas. O segredo para isso ocorrer pode ser usar o mecanismo como forma de fidelização. 60% dos consumidores que pagam suas contas em lojas a partir de aplicativos alegam os benefícios da fidelidade com a marca. Atualmente, 15% dos pagamentos na rede de cafés Starbucks já ocorre a partir de aplicativos.

Nota da Bonsai: Essa funcionalidade não é comum nos varejistas brasileiros e irá demorar para ser amplamente utilizado. Muito por já termos protocolos de segurança rígidos (Agora que os cartões de crédito com chips estão sendo amplamente implementados nos Estados Unidos. Muitas vezes, sequer assinatura no comprovante de compra é solicitado por lá, quando o pagamento é por cartão de crédito). Mas é inegável que pagar sua conta na loja sem precisar andar com cartões e dinheiro, apenas aproximando o seu celular ao leitor do caixa é uma inovação que auxiliará na compra por impulso.

 

Não acompanhou todas as reportagens sobre o assunto? Então:

Leia a 1º parte do conteúdo, clicando aqui.

Leia a 2ª parte do conteúdo, clicando aqui.