Estoque: diferencial competitivo ou ameaça para seu negócio?

Para a maioria dos segmentos do varejo, possuir um estoque para venda e entrega imediata é a essência do negócio. Imagine um supermercado ou farmácia sem estoque? Dificilmente o consumidor compraria produtos dessas empresas para receber apenas daqui a alguns dias. Portanto, conhecer e gerenciar o estoque de sua loja é importante para garantir a venda e, consequentemente, o resultado do negócio.

Mas a visão de que é preciso uma variedade grande de produtos e de estoque, presente no comportamento da grande maioria dos varejistas, pode não ser saudável para sua empresa. O que deveria ser um diferencial competitivo pode se tornar a ameaça da sua loja. Então, confira abaixo as sugestões para garantir que seu estoque seja capaz de atender as necessidades do seu cliente, mas que não se torne um problema para sua lucratividade.

– Conheça seu CMV: saber quanto custa os produtos vendidos é fundamental. O Custo da Mercadoria Vendida (CMV) é a soma do custo de todos os produtos que foram vendidos em determinado tempo. Ou seja, qual o valor total dos produtos “que saíram da prateleira” da loja. Tendo essa informação, siga a regra de ouro que é “não compre mais do que seu CMV”. Comprar acima do CMV significa aumentar o estoque. E quem paga essa conta é sua lucratividade.

– Conheça os hábitos de compras dos clientes: registre a venda dos produtos separadamente por item. Ou seja, o mesmo produto, mas com cores ou tamanhos diferentes precisam estar registrados separadamente no seu sistema ou controle manual. Pense sempre que o cliente que compra um produto azul, por exemplo, não necessariamente irá comprar um vermelho. Então se você souber apenas o produto vendido, como saberá se a cor mais vendida é a cor azul ou a cor vermelha?

– Conheça a média de venda de cada produto: você sabe quanto de cada produto é vendido por mês? Essa informação é importante para garantir uma reposição condizente com o volume de vendas.

– Controle o estoque mínimo de cada produto: os fabricantes e distribuidores possuem um prazo médio para produção e/ou envio dos produtos para seu estoque. Conheça esses prazos e reponha seu estoque considerando o volume de venda para o ciclo logístico da sua compra. Como exemplo, pense que um produto venda 10 unidades por mês e seu distribuidor precisa de 15 dias para entregar a sua empresa a partir do seu pedido. Então, com 5 unidades no estoque você precisa encomendar para receber a reposição um pouco antes do estoque zerar.

– Cuide para não comprar demais: controlar o estoque máximo de cada produto garante que os itens não encalhem na prateleira e que haja giro de estoque. Da mesma forma que usamos matemática para controlar o estoque mínimo, podemos a usar para não comprar demais. Seguinte o exemplo anterior, se vendemos 10 unidades de determinado item que leva 15 dias para ser reposto, chegamos à conclusão que com 5 unidades garantimos a venda desses 15 dias de espera. Então, podemos determinar uma margem de 50% como estoque máximo. Ou seja, manteremos 7 a 8 unidades em estoque desse produto.

– Despache produto encalhado: ao contrário do que muitos imaginam, estoque não é investimento. Ele está sujeito a depreciação, obsolescência, sinistro e outras situações que podem fazer sua loja perder o que guardou. Além de gerar custo de armazenamento, com locação de espaço e estrutura para guardar. Então, não guarde produtos com baixa venda para “a próxima estação”. Faça liquidações ou bonificações e gire com esses produtos, recompondo o caixa da empresa.

– Aprenda com os erros: a maioria das compras erradas (seja em quantidade ou produto escolhido) acontece por não se avaliar o ambiente. Por isso, faça as projeções de venda e compre o suficiente para garantir as vendas projetadas. Também, ouça seus clientes e avalie os históricos de venda. Eles dirão o que desejam consumir. Lembre-se que os produtos precisar ser “do gosto do cliente” e não “do gosto do empresário”.

A partir das sugestões acima, a gestão de estoque será mais racional e focada para o propósito de vender mais e melhor. Com isso, os problemas diminuirão e o resultado do negócio aumentará.

Texto desenvolvido pelo Consultor Bonsai, Romulo Tevah. Conheça mais sobre nosso profissional, clicando aqui.